Tradutor

terça-feira, 26 de outubro de 2010

PEDIDOS DE ORAÇÃO

Escreva o seu pedido de oração.
Filipenses 4.6 "Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições pelas oração e pela súplica, com ações de graças".

05 REVELAÇÕES DA GRAÇA

Tema: AS REVELAÇÕES DA GRAÇA Mc 10.46-52


07 Dispensações: Inocência; Consciência; Governo humano; Governo Patriarcal; Lei; Da graça na época do Espírito Santo; Milenial - (Scofield) – A Graça possui 1065 mandamentos, e capacita o homem a cumpri-los (Pr. Josué de Campos).

Graça (gr. Charisma – Favor imerecido).

A saudação Paulina “Graça e paz” eram uma verdadeira aberração para o “puritanismo judaico”. Era interpretada como um barateamento do sagrado.

Rm 5.15,16 – O dom (gr. Dorema = presente / tem origem na palavra “gr. Doreomai = presentear); foi entregue por Jesus Cristo de forma abundante (gr. Perisseuo = Exceder em número fixo previsto) através da graça. Pois a ofensa (gr. Paraptoma = Deslize da verdade e da justiça), resultaria em condenação eterna.

Rm 6.1,2 - A graça não significa “barateamento” da salvação. Significa entender que os que morreram para o pecado não podem mais viver no pecado.

AS REVELAÇÕES DA GRAÇA (Mc 10.46-52)

1. REVELA A SALVAÇÃO (Transforma a exclusividade em universalidade) – Tt 2.11 “Porquanto a graça se manifestou salvadora a todos os homens”.

• Uma ofensa (gr. Paraptoma = Deslize da verdade e da justiça) trouxe o juízo a todos os homens para a condenação. Por um só acto de justiça veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida – Rm 5.18.
Ilustração: Um homem trabalhava em uma pedreira, e sufocado pelo suor e o sol causticante, a cada golpe na "dura pederneira", extraia de si reclamações, e transferência de culpa para Adão. O patrão ao ver a cena, pergunta a razão de tamanha revolta: O homem não pestanejou: A culpa deste trabalho forçado é Adão, por ter pecado (mesmo que o trabalho foi uma criação divina - Jesus próprio afirmou: Meu Pai, trabalha até agora e eu trabalho também - João 5.17). Imediatamente o patrão o transferiu da pedreira maciça para o escritório, confiando lhe a tesouraria, com privilégios especiais (motorista particular, ar condicionado, uma sala especial) e o "segredo do cofre" com a seguinte recomendação: Vou viajar, mas gostaria que você não abrisse o cofre, pois não existe nada que se do seu interesse lá. Com um sinal afirmativo o funcionário viu o patrão cruzar as portas da empresa para viajar. Quando retorna a "seu novo e refrigerado" local de trabalho, ele ouve um pequeno "raspado" no interior do cofre, por algumas vezes. Vencido pela curiosidade e achando que a recomendação recebida era desnecessária, ele abriu o cofre. A assustada ave que havia no seu interior "bateu asas rumo a liberdade", para desespero do pobre homem. Quinze dias depois o patrão chega e pergunta pelo trabalho, as motivações, a empresa. O confiante funcionário responde que agora ele estava no local correto, tudo estava bem. Até que..... o patrão pede para abrir o cofre. Depois de tentar fazer o patrão mudar de idéia (esforço infrutífero), foi obrigado a abrir o cofre. A temível pergunta surge como uma "bomba" nos lábios do patrão: onde está o "esqueleto" da ave que era para estar aqui? Sem ter argumentações convincentes, ouve a própria sentença: A culpa de você permanecer na pedreira não era de Adão. Cada um é tentado pela sua própria cobiça (Tg 1.14). "Volte a pedreira".

A GRAÇA revela a necessidade da salvação. (parte 01)




Mensagem ministrada (1ª parte) Assembléia de Deus "Missões aos povos"  Charneca de Caparica _Portugal. 26/10/2010_
O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Banda Genesis - Há Uma Saída



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Banda Genesis - Ajuda-me



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Banda Genesis - Amor tão Lindo



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Cristianismo Radical: 2ª Simpósio do Ibadetrim - A contextualização da Reforma

Cristianismo Radical: 2ª Simpósio do Ibadetrim - A contextualização da Reforma

O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Tema: CULTOS QUE FAZEM DEUS SOFRER

Tema: CULTOS QUE FAZEM DEUS SOFRER
  Is 1.14


Sofrer (hb. Nasa – suportar, aguentar) – Deus é um ser pessoal

Os cultos que fazem Deus sofrer são resultados da falta de CONHECIMENTO, TEMOR, REVERÊNCIA E FIDELIDADE. (Is 1.3)

• Gn 4.4,5 – Demonstra a diferença entre um culto aceito, e um culto rejeitado (Caim e Abel). Abel trouxe o melhor (primícias, prioridade), Caim trouxe apenas uma oferta. – A atitude definiu a qualidade do culto.

• Is 1.3 – Deus sofre por ver que seu povo não o conhecia, e consequentemente não entendiam.

• 2 Rs 17.25,26 e 28 – Sargon II teve que enviar um sacerdote para Betel para ensinar as pessoas que foram transportadas cativas desde Babilônia, Cuta, Ava, Hamate e Sefarvaim para Samaria, a temer o Senhor, pois os leões foram enviados por Deus para “incentivar” as pessoas a aprenderem o culto.

• 1 Sm 6. 3 – Os filisteus não poderiam devolver a Arca que roubaram sem depositar uma oferta pela culpa. Não queriam sofrer as mesmas consequências que o Egipto sofreu.

• At 5 – Ananias e Safira foram mortos dentro do santuário porque queriam oferecer um culto enganoso. Tal tragédia trouxe temor a toda igreja (At 5.11) e para os que ouviram as notícias.

• O Culto a Deus não é uma diversão, ou entretenimento (Ex 32.6,7) – O povo levantou-se para oferecer holocaustos, trazer ofertas pacíficas, para comer e beber e levantou-se para DIVERTIR. Em Ex 32.10 – Deus queria destruir o povo. E faz uma proposta de recomeço para Moisés.

Os nossos cultos fazem Deus “sofrer” quando:

1. Vimos apenas para “assistir” o culto (Bater o cartão de ponto) – Is 29.13 “[…] este povo se aproxima de mim e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu”.

2. Quando trazemos ofertas vãs (Is 1.13) (hb. Shav. Vaidade, vacuidade, falsidade)

• Orações abomináveis (Is 1.13)

• Sacrifícios imperfeitos e profanos (Is 1.11) – O adorador estava distante do significado dos sacrifícios (Corpo presente, alma ausente) “De que me serve a multidão dos sacrifícios?”

• Louvores mundanos (Lv 22.29) – Louvorzão gospel. Quando “moldamos” os louvores espirituais na “camisa de força” dos ritmos mundanos, místicos, e naturalmente profanos. (Rm 12.2). (Quando o Adorador de Jeová deixa seu coração ser “invadido” pelos cantores e adoradores de Satanás). IMITAÇÃO (2 Cr 12.10) escudos de bronze.

3. Quando trazemos nossas iniquidades e queremos mantê-las associadas ao culto a Deus (Nm 25.1: 31.15,16)

• Balaão como não pode amaldiçoar o Povo de Deus; ensinou Moabe a atrair a ira de Deus sobre Israel, com a proposta da “mistura” (ecumenismo pleno). (Nm 23.8)

• A mentira de que todos somos “filhos de Deus” (Jo 1.12). Fazendo do Salmos 133 um “talismã de sedução espiritual”.

»» Quando nossos cultos fazem Deus sofrer (sentido de suportar), nós sofremos perdas em todas as áreas de nossa vida (Espirituais, familiares e materiais)

1. Deus “se esconde de nós” (Mãos inutilmente erguidas) (Is 1.15). Não “nos ouve” (selectivo).

2. O pecado “bloqueia” a resposta de Deus. (Is 59.2)

Como proceder para que Deus tenha prazer em estar em nossos cultos? (Is 1.16)

1. Deixar que a Palavra nos lave (1 Sm 7.6) “Deus tem água para derramar sobre o sedento… (Is 44.3).

2. Purificarmos (Atitude pessoal) de tudo que não agrada a Deus (deuses estranhos) – (Gn 35.2; 1 Sm 7.3,4) – Israel após 20 anos (1 Sm 7.2) distantes da presença de Deus aceitaram o convite para um novo culto. (RECOMEÇO)

3. Abandonar definitivamente o pecado

• Deuses lançados fora (comunhão restaurada) (Is 43.25)

• Água derramada diante do Senhor (Efeito da Palavra)

• Oração “reconectada” através do quebrantamento (Is 57.15) – A aparição do remanescente (Is 1.9)


Ministrada em 20/10/2010_AD Agualva-Cacém_Portugal
O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Ludmylla Cantando na Santa Ceia.MP4



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Pr. Cézar Carrijo: Planeamento: Especialidade de Deus (parte 03)_Pr. ...

Pr. Cézar Carrijo: Planeamento: Especialidade de Deus (parte 03-Final)_Pr. ...: "Tema: Planeamento especialidade de Deus (parte 03)_Pr. Cézar Carrijo) PLANEANDO A VIDA ESPIRITUAL (Limite e fidelidade) Relacionamento fam..."

Ministrada em 19/10/2010_Assembléia de Deus Missões aos povos_Portugal_Tapada das Mercês
O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Planeamento: Especialidade de Deus (parte 03)_Pr. Cézar Carrijo

Tema: Planeamento especialidade de Deus (parte 03)_Pr. Cézar Carrijo)


PLANEANDO A VIDA ESPIRITUAL (Limite e fidelidade) Relacionamento familiar (interfere [SEGREDO] directamente na vida espiritual) (Mt 12.25b) “ …toda casa dividida não prosperará” – (2 Sm 15.3)


• O lar de David – David foi um excelente rei, salmista, e adorador; porém os problemas em seu lar trazem algumas lições para nós.


» Princípios doutrinários (terceirizados ou ignorados)


• David ignorou a proibição de Dt 17.17 de “não multiplicar mulheres”. (Mical – 1 Sm 18.27; Abigail – 1 Sm 25.42; Ainoã, jeezrelita – 1 Sm 25.43; Maaca, filha de Talmai[rei de Gesur]; Hagite – 2 Sm 3.4; Abital – 2 Sm 3.4; Eglá – 2 Sm 3.5; Bate-Seba – 2 Sm 11.27 e ainda mais concubinas e mulheres de Jerusalém – 2 Sm 5.13). Colheu o resultado da lei da semeadura (Os 8.7). David perdera a autoridade e a moral para repreender seus filhos (Ultrapassou os LIMITES e vulgarizou a FIDELIDADE).


• David terciarizou a educação e a vida espiritual de Salomão ao profeta Natã (2 Sm 12.25).


• David não se preocupou com os princípios de 1 Co 15.33. As “más companhias” (gr. Homilia: companhia, relação, comunhão) corrompem (depravam) os bons costumes (Gr. Ethoss – caráter, moral) – o primo Jonadabe, filho de Siméia (2 Sm 13.3) – TB.


• O filho que se apresentou como doente (Amnom), deveria ser levado ao médico, e não ter um “capricho pessoal” atendido (Ausência de limites) – 2 Sm 13.5,6 – Quantos “presentes” é dado a filhos para “repor” a ausência dos pais? (Carros, dinheiro, festas, passeios, telemóveis, computadores, viagens, etc…)


• Ignorar o problema não resolve-o (2 Sm 13.26 – “Para que iria ele contigo?” – Baal-Hazor)


» Por 2 anos Absalão “cultivou” o desejo homicida.


» Por 3 anos Absalão permaneceu em Gesur (pequeno reino aram.)


» Por 2 anos Absalão ficou em Jerusalém, mas sem ver a face do rei (pai) – 2 Sm14.28. Depois de ser “chantageado” David beija o filho homicida, mas já era tarde demais (2 Sm 14.33)


» Por 4 anos Absalão “roubou” o coração do povo de Israel, e uma “falsa espiritualidade” de Absalão (2 Sm 15.7,8), foram a mistura explosiva para destruir o lar e derrubar David do trono. (2 Sm 15.16) – O “peso de consciência” (2 Sm 18.5) “Tratai com brandura o jovem Absalão, por amor de mim”. (Tarde demais!)


» Os papéis bem definidos (A figura masculina – Ef 5.23 “cabeça da mulher”, e a figura feminina – limites bem definidos) – Não competem entre si, mas se ajudam mutuamente. (1 Co 7.3; 1 Co 11.11 “No Senhor, todavia, nem a mulher é independente do homem, nem o homem, independente da mulher”)


» A submissão da esposa não é um acto de fraqueza mas de coragem (Ef 5.22,25)


» O marido é o responsável por nortear o lar com “discernimento”(Caso de Jó – Jó 1.5 e 2.9,10) e pela dignidade da esposa (consideração) “Quantos esposos enaltecem todas as mulheres em seu redor, mas não expressam o mínimo sinal de aprovação para a mulher que Deus colocou ao seu lado” (1 Pe 3.7). Anular isto é bloquear as orações.


» O marido recebe a tarefa de amar a esposa como Cristo amou a igreja (Ef 5.25). Este amor envolve ajudá-la na santificação, crescimento espiritual. (“Alto padrão” de investimento espirirtual)


» Muitos lares entram em falência espiritual, e consequentemente material, por causa de conjugues que não cultivam o relacionamento conjugal, material e ainda o espiritual.


A transparência é uma virtude que precisa ser investida continuamente. (Ela enaltece os limites e a fidelidade)


» Os nossos actos devem condizer com aquilo que falamos (Tg 2.12). “ Falai de tal maneira e de tal maneira procedei como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade”. O valor da palavra empenhada (Fidelidade e limite) – Mt 5.37 (Sim, sim e não não)


» Os filhos (herança do Senhor), devem ser ensinados (tempo de qualidade), através da Palavra de Deus e do testemunho pessoal. (Ef 6.4) “Pais não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor”.


» Conclusão


• Se ignoramos a necessidade de planeamento, e por isso, as áreas de nossas vidas (pessoal, profissional e espiritual) entrou em falência ainda há uma esperança: Confissão de pecados (1 Jo 1.9).


• Lembremos de onde caímos (Ap 2.5) e pratiquemos as primeiras obras. (Hb 10.22) “Aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado da má consciência e lavado o corpo em água pura”.





O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

O ADORADOR FAZ A DIFERENÇA_Pr. Cézar Carrijo

Tema: O ADORADOR FAZ A DIFERENÇA

                                                     Sl 96.9 / Jo 4.23
Adoração: Culto, honra, reverência, homenagem prestada a poderes superiores.


• Gn 4.26 – primeira referência bíblica envolvendo a adoração a Deus.

» 04 ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO DA ADORAÇÃO A DEUS

A) Os patriarcas adoravam construindo altares e oferecendo sacrifícios (Gn 12.7,8; 13.4). Onde chegavam edificavam altares, e ofereciam sacrifícios.

• Jó 1.20 – Jó quando ficou sabendo que seus filhos e funcionários haviam morrido, e seus bens roubados, se humilhou e adorou a Deus.

• Hb 11.21 – Jacó mesmo jaz à morte, apoiando na extremidade do seu bordão adorou a Deus.

B) A adoração passou a ser feita no Tabernáculo e no Templo, mas homens de Deus continuaram a prostrar em adoração nos lugares mais inusitados.

Detalhe: É necessário ressaltar a absoluta negação do antropomorfismo, no sentido de “morada de Deus” (Ex 25.8)

• Js 5.14 – Josué adorou ao Senhor ao pé de Jericó.

• 2 Sm 12.20 – Davi adorou a Deus mesmo amargando a morte do filho recém-nascido

• 2 Cr 20.18 – Josafá adorou a Deus, e como resposta Deus lhe deu vitória sobre os amonitas e moabitas.

C) Quando abandonaram a verdadeira adoração, foram levados ao cativeiro: Israel pela Assíria, ano 722 a. C (2 Rs 17.6; 18.11) e Judá pela Babilônia, ano 586 a. C (Jr 52.24-30). No cativeiro a adoração foi recomeçada nas sinagogas.

• Mt 9.18 – O chefe da sinagoga adorou a Jesus, mesmo sua filha estando morta. Como resultado: Jesus ressuscitou sua filha.

D) A adoração cristã é uma adoração mais ampla:

• At 20.7 – Pregação da palavra; 1 Tm 2.8 – Oração (Mãos levantadas sem ira, nem contenda; 1 Tm 4.13 – Leitura das escrituras; 1 Co 16.1,2 – Ofertas; At 2.37-41 – Baptismos; 1 Co 11.23-29 – Santa Ceia do Senhor

Uma vez que a adoração foi desenvolvida e ampliada através do relacionamento do homem com seu criador. Voltar a adorar a “arca da aliança”, reconstruir os objectos de culto do passado? Isto estaria certo?.

1. Precisamos saber a “quem” adorar (At 17.23)

• Ap 19.20 – Os anjos não podem ser jamais adorados. (Hb 1.14) “Espíritos ministradores a favor daqueles que hão de herdar a salvação”.

• Ex 20.4,5 – As imagens de escultura não podem nem ser construídas, quanto mais adoradas. (Dn 3.18)

• Dn 4.30-32 – Doze meses após o sonho, Nabucodonor já havia perdido o temor, e queria adoração. No mesmo instante foi enviado a “comer capim”.

• Os atenienses, os filósofos epicureus e estóicos adoravam ao Deus Desconhecido (para eles). Mas para nós bem conhecido (Não habita em santuários feito por mãos humanas – At 17.24)

• At 14.19 – Quando Paulo curou o paralítico em Listra, por não aceitar adoração, foi apedrejado. (Adorar a Deus pode custar um alto preço)

• É destinada exclusivamente a Deus (Ex 20.3) – Não pode haver compartilhamento, ou intermediários. (Jd 25)

2. Precisamos saber “como” adorar

• É um acto de renúncia ao próprio “eu”.

» Mt 15.25 – A mulher cananéia adorou a Jesus, mesmo sendo “humilhada” por Ele. Sua adoração perseverante e sua súplica foram determinantes para libertação de sua filha. (A adoração liberta).

• Dn 5.2, 30 - A adoração a Deus não aceita mistura (Belsazar perdeu o reino e a vida por misturar objectos de adoração Deus com coisas profanas).

• Jó 1.20 – A adoração não é uma forma de recompensar a Deus, mas sim de entender a soberania de Deus.

• Jo 4.24 – Os adoradores de Deus devem adorar em Espírito (relacionamento com Deus) e em verdade (conforme as regras da Palavra de Deus). A samaritana queria adorar, mas não sabia como. (Muitos “adoradores” são meros espectadores ou assistentes de culto).

3. “Onde” adorar

• O homem é o santuário mais propício para adoração (1 Co 3.16,17) – O verdadeiro lutar para se construir um templo de adoração a Deus.

• O adorador faz a diferença em qualquer recinto (At 16.25)


Fonte: Definições das etapas da adoração _Bíblía Online 2.0

Ministrada em 13/10/2010_ Assembléia de Deus Missões aos Povos_Agualva-Cacém_Portugal




O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Planeamento: Especialidade de Deus (Parte 2)_Planeando a vida espiritual_Pr. Cézar Carrijo

PLANEAMENTO: ESPECIALIDADE DE DEUS (PARTE 2)_PLANEANDO A VIDA ESPIRITUAL                                                                          Is 1.19 / Sl 26.1,2

domingo, 10 de outubro de 2010

Pr. Cézar Carrijo: O "meio" do deserto (Faculdade de Deus)

Pr. Cézar Carrijo: O "meio" do deserto (Faculdade de Deus): "Tema: O “MEIO” DO DESERTO (A Escola de Deus) Jó 23.8,9 » Deserto: Lugar onde o “silêncio” de Deus é ensurdecedor. (Hc 1.2) “Até quando, S..."

O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

O "meio" do deserto (Faculdade de Deus)

Tema: O “MEIO” DO DESERTO (A Escola de Deus)


Jó 23.8,9

» Deserto: Lugar onde o “silêncio” de Deus é ensurdecedor. (Hc 1.2) “Até quando, Senhor, clamarei eu, e tu não me escutarás?”

» Deserto, é lugar de bons referenciais: Abraão, Jacó, José, Elias, Jó, Jesus foram homens que venceram o deserto.

• ABRAÃO (Gn 22.1,2) – No “meio” do deserto (tempo Kairós) Deus pede Abraão sacrificar seu filho Isaque

» Significava sacrificar sua própria esperança (Hb 11.19), mas também representava vencer o “meio do deserto”.

• JACÓ (Gn 31.41) – Trabalhou 20 anos em terras estranhas; teve seu salário mudado 10 vezes, mas foi aprovado na escola de Deus (Israel: Aquele que luta com Deus)

• JOSÉ (Gn 39.20) – Foi caluniado, injustiçado e preso. Mas após 13 anos no “meio do deserto”, saiu para governar a maior potência económica do mundo antigo.

• JÓ (Jó 23.8,9) – A integridade, rectidão, temor, e desviar-se do mal foram os caminhos que conduziram Jó ao “meio” do deserto.



Lições aprendidas no “meio do deserto” (a escola de Deus)

1. O “MEIO DO DESERTO” é lugar de CRESCIMENTO ESPIRITUAL (Não inchaço) - Ex 3.5 (Horebe); prisão, Moriá, Síria

• O crescimento espiritual é resposta de nossas próprias orações (Senhor usa-me, eis-me aqui, sonda-me, quebranta-me, etc…)

• Desenvolve a salvação (Fp 2.12b)

• Desenvolvemos nossa verdadeira identidade espiritual (1 Co 2.15) – A formação do homem espiritual

• O “meio” é lugar de preparação e não punição (Lc 4.1)



2. O “MEIO DO DESERTO” é onde ANDAMOS POR FÉ (Hc2.4b) (2 Co 5.7)

• Nossa fé é provada à exaustão (2 Co 13.5)

• Nem os amigos ou parentes compreendem quando estamos no “meio do deserto” (2 Co 4.17,18) “Nossa leve e momentânea tribulação […] as coisas que se vêem são temporais e as que se não vêem são eternas”.

• Médicos que não valem nada (Jó 13.4)



3. O “MEIO DO DESERTO” é onde o CUIDADO DE DEUS É MAIS ESPECÍFICO (Dt 8.2)

• A humilhação e a provação são instrumentos usados por Deus para extrair do nosso coração “tudo” que nos conduziria ao inferno. (Testando nossas verdadeiras motivações).

• 40 anos desactualizados da moda (Dt 29.5)

• Deus faz da “mesmice” uma “aliada”, para demonstrar seu cuidado sistemático connosco (Mesmas caras, mesmo, salário, mesmo MANÁ) Nm 21.5 (Pão vil) – O carregamento celestial chegava todos os dias



4. Quem supera “O MEIO DO DESERTO”, SAI DA PROVA E VIVE A REALIDADE DA PROMESSA DE DEUS (Tg 1.12) “Bem aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam”.

• Dia selectivo (Os que perdem, os que retornam ao deserto, e os que saem do deserto).

• Dia onde o Jordão ficará para trás (Palco memorial)

• As coisas velhas ficam para trás, tudo se fez novo (2 Co 5.17b)

• Quem sai do deserto terá a oportunidade de orar pelos amigos e ter a vida mudada, pois foi aprovado na Escola de Deus (Jó 42.10)


Mensagem ministrada em 10/10/2010_AD Missões aos povos_Portugal_Agualva-Cacém

O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Vídeo para o Culto de Missões - Brasil



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Dr. Russell Shedd - Missões no Brasil (semap)



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Mensagem Programa AD Vida em Cristo 1



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Pr Álvaro A Sanches 20 anos SEMAP



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Grupo Resgate_AD Agualva-Cacém_Junho 2010_Portugal.mpg



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Abertura do bastimo com o Pastor Elizeu Batista



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Batismo AD Missões aos povos_Portugal_Salva terra de Magos



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Almoço após o batismo AD Portugal Agosto 2010



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Batismo Ludmylla Carrijo



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Irmã Gláucia louvando a Deus juntamente com a Igreja AD Agualva Cacém



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Nosso carro encravado na areia_Dia do batismo_29 de Agosto 2010.mpg



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Grupo Resgate_AD Agualva-Cacém_Junho 2010_Portugal.mpg



O plano de Deus vai até o final. Deus te abençoe e guarde.

Pr. Cézar Carrijo: Deserto:Lugar de superação_Pr. Cézar Carrijo

Pr. Cézar Carrijo: Deserto:Lugar de superação_Pr. Cézar Carrijo: "Tema: DESERTO, LUGAR DE SUPERAÇÃO Sl 78.19b e Rm 8.28 · Ex 3.1/ At 7.30: M..."

Comente por favor:

Deserto:Lugar de superação_Pr. Cézar Carrijo

Tema: DESERTO, LUGAR DE SUPERAÇÃO
Sl 78.19b e Rm 8.28
· Ex 3.1/ At 7.30: Moisés ouve Deus falar consigo após 40 anos no deserto.
· 1 Sm 23.14 – Davi sobreviveu à morte permanecendo no deserto. Deus estava com ele no deserto.
· 1 Rs 19.4 – Elias se prostra debaixo de um zimbro no deserto. Pensando que sua vida acabaria no deserto. Mas Deus socorre Elias em meio ao deserto.
· Gl 1.17 – Entende-se que o apóstolo Paulo antes de subir a Jerusalém cursou umas “faculdade cristocêntrica por 3 anos no deserto da Arábia”. Razão da segurança do evangelho que ele pregava (Gl 1.12)
· Gn 16.7,8 – o “Anjo do Senhor” (teofania) a encontrou no deserto, e a coloca diante diante do “dilema da existência”: Donde vens e para onde vais? Agar estava em fuga.
» Fugir para o deserto é pedir para ser admitido na Faculdade divina.
Agar: hb. Voo, fuga, ou emigração
1º Voo de Agar ao deserto (Desprezando oportunidades) – Decisão precipitada – (Deus vai ao encontro no deserto)
· Zombava da mulher que lhe dera a grande oportunidade de sua vida (Gn 16.4) (Agar, segundo Rashi era filha do Faraó. Que após o incidente de Gn 12.17, Deu Agar por serva a Abrão, pois segundo Rashi o Faraó disse, que era melhor ser serva de Abrão do que princesa no Egipto)
· O “frutos amargos” colhidos por pessoas que desprezam grandes oportunidades, só são percebidas quando elas voam para o deserto.
· Agar trocara o “lugar de honra” pelo opróbrio de uma “fugitiva”.
· FUGA: Caminho anteriormente percorrido por Adão e por Eva (Gn 3.8); Caminho também trilhado por Caim (Gn 4.9).
· Deus visita Agar no deserto e descortina o “caminho da superação”: Humilhação (Tg 4.10)
· Deus surpreende Agar no deserto:
» Deus chama Agar por nome (Is 43.1b)
» Deus faz uma promessa para Agar (Gn 16.10) – Ismael (hb. Deus ouviu)
» Deus socorre uma fugitiva quando ela está disposta a trilhar o “caminho da humilhação”. (Tg 4.6b) “[…] Deus resiste aos soberbos mas dá graça aos humildes”.
· Agar restaura a comunhão com Deus (Gn 16.13,14)
Tradução da Torá (Gn 13.17) – “E (ela) denominou o nome do Eterno que lhe falava “Tu és Deus que vê tudo” porque disse: Também aqui eu vi (o Enviado de Deus) depois de o ver (na casa de Abrão). Encontro ao longe e agora encontro próximo (Rm 2.11)
O “marco” do “primeiro voo” de Agar ao deserto foi o poço que ela chamou: Beer-Lachai_Roi (Torá): Poço em que o Anjo vivente apareceu nele. (Sl 34.19)
» Ismael nasceu (Deus ouviu) – Sl 34.15 “Os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos ao seu clamor.
2º Voo de Agar ao deserto (Circunstancial ou involuntário) – Resultante da decisão de terceiros (Deus chama desde o céu)
» Ela colhe os frutos da semente que plantara em Ismael (Os 8.7) – Ismael zombava de Isaque.
» Agar foi expulsa de um lugar seguro, e tendenciosamente foi rumo ao deserto. Andava errante empurrada pelos seus sentimentos
» Agar recebeu de Abraão provisão para o deserto (Pão e água). Deus prometeu suprir as nossas necessidades (Fp 4.19)
» Agar “abandona” a promessa de Deus debaixo dos arbustos (Gn 21.15). Mas a promessa não morre (Ismael havia aprendido a orar com Abraão - ref. Torá)
· Deus chama por nome Agar desde o céu, e lhe mostra que sua história no deserto não era uma história de derrota e sim de vitória (Sl 121.1,2)
· Deus ordena a Agar para “tomar a promessa pela mão” e beber do poço de águas vivas (Jo 4.14). Ela era convidada a encher o seu cântaro (Fé) com a água viva (Graça – Ef 2.8).
· A graça nos foi dada para não sucumbirmos mediante o deserto (lutas, adversidades, críticas, enfermidades, perseguição) – Fp 1.29 “Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele”. Beba do poço de águas vivas
Mensagem pregada em 06/10/2010_AD Missões aos povos_Agualva-Cacém_Portugal

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Pr. Cézar Carrijo: Planeamento: Viver segundo as regras da Palavra de...

Pr. Cézar Carrijo: Planeamento: Viver segundo as regras da Palavra de...: "Tema: PLANEAMENTO: VIVER SEGUNDO AS REGRAS DA PALAVRA DE DEUS Is 1.19 Analogia dos 3 conselhos: 1) Não pegue um atalho; 2) Não seja demasia..."

Comente por favor:

Planeamento: Viver segundo as regras da Palavra de Deus (Parte 01)_Pr. Cézar Carrijo


Tema: PLANEAMENTO: VIVER SEGUNDO AS REGRAS DA PALAVRA DE DEUS Is 1.19
Analogia dos 3 conselhos: 1) Não pegue um atalho; 2) Não seja demasiadamente curioso; 3) Não tome decisão precipitada.
· Deus não trabalha na improvisação, é um Deus que planeja. O futuro de mais de 2 milhões de pessoas em meio a um deserto só estava garantido porque Deus é um Deus de planeamento. (Coluna de fogo e nuvem) – Dt 29.5 – O segredo de prosperar é guardar e cumprir as palavras de Deus, Deus é especialista em planeamento.
· Suas promessas são uma prova de que tudo que ele faz é um plano. (Sl 139.16) – A nossa vida, nosso dia-a-dia, e até onde moraremos eternamente (Jo 17.24) já foi planejado por Deus antecipadamente.
· Gn 18.17, 18 – Deus tinha um plano para abençoar todas as nações que envolvia Abraão e sua descendência.
· Gn 26.2-5 – Deus revela a Isaque que tinha um plano para sua vida, que já havia começado na vida de seu pai Abraão, mas para que o plano concretizasse, Isaque precisaria se “adequar” ao plano de Deus.
· Gn 31.41,42 – Uma situação de 20 anos de trabalho escravo, salário mudado 10 vezes, mas Jacó saiu riquíssimo (Seu planeamento pessoal “atraiu” a bênção de Deus).
» O segredo em ser abençoado por Deus é nos “adequarmos” ou “amoldarmos” ao plano de Deus. (Pv 19.21).
» O homem sempre se preocupou com 3 questões que estão atreladas a vida humana: Alimentação, Moradia, e Segurança.
» Estas questões são melhor equacionadas seguindo os princípios bíblicos. Princípios estes bem conhecidos por José, da idade de 30 anos aproximadamente (Gn 39.2-6 – Casa de Potifar; Gn 39.21-23 – Cárcere; Gn 41.34-36 – Palácio de Faraó).
· Deus confiou aos sacerdotes a instrução ao povo (Ml 2.7,8). Mas tal trabalho tem sido desprezado, ignorado ou mesmo terciarizado para “marketeiros” de plantão.

Todo planeamento precisa ter dois alicerces: Limite e Fidelidade
1. LIMITE (claros e bem definidos) –
» O tempo (Ec 3.17b)
» Autoridade (Legalidade, integridade, transparência) 1 Pe 2.13,14 – Quem se opõe a autoridade resiste à ordenação de Deus, e traz sobre si mesmo condenação (Rm 13.2)
» Necessidade (não sacrifiquemos o melhor de Deus no altar da urgência).
2. FIDELIDADE (As más atitudes ou más obras podem matar (neutralizar) a Fé. (Ml 3.13-15) – O homem fiel será cumulado de bençãos (Pv 28.20a)
· Fidelidade com Deus (Deus não muda – Ml 3.6a)
» O facto de Deus não mudar é uma segurança para planearmos nossas vidas, segundo os seus mandamentos (Dt 7.9).
· Fidelidade comigo
» Jó descansava em sua fidelidade (Jó 27.6) – Consciência tranquila
· Fidelidade com os outros
» Jó usa o capítulo 31 do seu livro para testemunhar deste alicerce em sua vida.
» Jó era fiel até com a terra (Jó 31.38) – Quantas vezes somos infiéis com os bens que Deus nos concede (Descuidamos do carro, da casa, da família, do servir na igreja, à nação, etc…) – Não investimos em nossas famílias e queremos vê-las produzindo. Isto seria impossível)

Viver os últimos da igreja na terra depende de disciplina no planeamento. Ouvir o conselho e receber instrução (Pv 19.20)

PLANEAMENTO (O Espírito Santo é um ajudador super qualificado (Gl 5.16). Os juízes de Israel viveram esta convivência de forma plena
Benefícios do planeamento: Lc 14.28-30
· Exercita a virtude do domínio próprio (Gl 5.22,23)
· Nos prepara para os imprevistos
· Nos poupa de tentarmos a Deus (Dt 6.16)

PLANEANDO A VIDA PESSOAL (sempre lembrando dos 2 alicerces: Limite e fidelidade)
1. TEMPO: o tempo de planejar não pode ser secundário, é uma alta prioridade. (A “qualidade” do tempo de planeamento: Imediato, curto prazo, médio prazo e longo prazo)
2. PRIORIDADES (O perigos advindos do pecado do consumismo, filho da cobiça) – Tg 1.15
» O consumismo dá nos uma sensação de realização pessoal (é prazeroso, mas é pecado) – (Pv 16.25)
» Quantas vezes sacrificamos no “altar da precipitação”, (1 Sm 13.9,12-14) nossos melhores momentos e bens. (Pv 19.2). Saul perdeu o reino.
» O urgente, o necessário, e o querer sem planeamento. “Não transforme o “sonho” em “pesadelo”.
» O cuidado da família (1 Tm 5.8) – Negar este princípio é negar a Fé.
» Depender da bênção de Deus é algo seguro (Pv 10.22). A bênção que não traz desgosto.
3. RELACIONAMENTOS (Sl 1.1) (Fiadores, colaboradores, família e amizades)
» Os perigos do julgo desigual (2 Co 6.14)
» Eu não posso avalisar alguém com algo que eu não possua. É um acto de inverdade. (Pv 22.26,27)
4. ORGANIZAÇÃO (Pv 14.23)
» Balancete financeiro (Quanto ganho exactamente e “como” gasto exactamente, sem romantismo) – O “recurso” caixa de sapato vazia (A importância de guardar as facturas). IRS, Controle exacto.
» Cheques a prazo, cartões de crédito, financiamentos, juros e despesas bancárias (o preço que o consumismo cobra é alto)

PLANEANDO A VIDA PROFISSIONAL (Limite e fidelidade)
» As mudanças e tendências (onde está os “Título de datilógrafo, operadores de telégrafos?)
» As oportunidades produzidas pela educação (os diversos níveis da sociedade)


Mensagem ministrada em 05/10/2010_ AD Missões aos Povos_Tapada das Mercês_Portugal (Parte 01)

P.S: No português de Portugal a palavra "planeamento" equivale a palavra "Planejamento" (português do Brasil)

Assembleia de Deus "Ministério Missão aos Povos"

Assembleia de Deus "Ministério Missão aos Povos"

Pr. Cézar Carrijo e Missª Gláucia Carrijo

Pr. Cézar Carrijo e Missª Gláucia Carrijo

Mensagens populares

Me esforço para parecer com Jesus